Essencia de Mulher

Um blog para mulheres e homens de mente aberta

sexta-feira, junho 02, 2006

Aprendizagens...

Ao longo do nosso trajecto de vida vamo-nos deparando com uma série de lições a aprender. Hoje ao desfolhar um livro que tinha há anos vejo o texto que aqui vos deixo e que revela uma das lições que últimamente me tem custado a aprender. Sinto mesmo que é urgente que eu aprenda esta lição. Ao ler senti-me menos só nesta caminhada. Afinal não sou só eu que estou a braços com esta tarefa. Coincidência ou não, senti como se esta "história" tivesse sido escrita de propósito para mim. Foi como reconhecer parte da minha vida nestas palavras.
A Palavra de Ângela
Quando Ângela era pequenina,
Por acharem ter razão,
O pai e a mãe ensinaram-lhe
Que nunca se diz NÃO.
Ensinaram-lhe a concordar
Com tudo quanto diziam
E, caso o não fizesse,
De castigo para a cama a mandariam.
.....................................................................
Ângela aprendeu a ser
Uma criança agradável;
Nunca se zangava
Nem se mostrava irritável;
Era sempre carinhosa,
Nunca entrava em discussão,
E, dissessem o que dissessem,
Os pais tinham sempre razão.
........................................................................
Ângela era um anjo na escola,
Como devem calcular,
Os professores elogiavam-na
Por se saber comportar,
Mas o que Ângela sentia
Ninguém conseguia adivinhar.
.....................................................................
Ângela tinha muitos amigos
E era muito popular,
Pois sabiam que com ela
Sempre podiam contar.
Mesmo estando doente,
Precisando descansar,
Se lhe pedissem ajuda
Ela não conseguia recusar.
..........................................................................
Aos 33 anos de idade
Estava Ângela casada,
Tinha filhos, uma casa,
Uma vida descansada.
Se alguém lhe perguntava
Como é que ela se sentia
Respondia"estou bem"
E era assim que parecia.
...........................................................................
Mas numa noite de Inverno,
Já bem perto do Natal,
Enquanto a família dormia,
Ela acordada sofria.
Não sabia como ou porquê,
Mas só queria morrer.
E pedia que a ajudassem,
Que desta vida a levassem.
.......................................................................
Sentiu então dentro dela
Algo suave e são,
Uma voz que lhe dizia
Aprende a dizer...NÃO
........................................................................
A partir desse momento,
Soube o que tinha a fazer,
A sua vida dependia
De aos outros poder dizer:
.......................................................................
Não, não quero;
Não, não concordo;
Não, não faço;
Não, não me recordo;
Não, porque estou cansada;
Não, porque me magoa;
Não, porque estou ocupada!
.....................................................................
Para a família foi um choque,
Para os amigos uma surpresa,
Ângela estava diferente,
Isso estava, com certeza;
E de há três anos para cá,
E sem sentir rejeição
Ângela, o anjo,
Aprendeu a dizer NÃO.
......................................................................
Hoje Ângela é mulher
E só depois esposa e mãe,
Sabe aquilo que quer,
Valoriza o que tem.
Tem ambições e talentos,
Tem os seus objectivos,
Necessidades,
Sentimentos.
.....................................................................
E aos filhos ela diz,
"É bom quando se diz sim,
Mas se não aprenderem a dizer NÃO
Vocês nunca crescerão.
E como errar é humano,
E vocês são quem mais amo
Mesmo que me digam NÃO
Sempre os meus anjos serão."
Barbara K. Bassett

12 Comments:

At 4:39 da tarde, Blogger Isa said...

Lindo, lindo.

Eu também aprendi a dizer "Não" . No meu curso (ISLA-Secretariado de Direcção), tivemos uma cadeira de assertividade. Como deves calcular, se a Secretária não consegue dizer "Não", é um "ver se te avias"..."pau para toda a obra". Temos de saber gerir o tempo e prioridades de tarefas.

Fiquei contente por saber que estás no bom caminho. O teu blog transmite isso mesmo!

Muitos beijinhos e bom fim de semana :))

 
At 5:06 da tarde, Blogger LuzHarmonia said...

Obrigada pelas tuas doces palavras.
Sim, claro que me podes linkar.
Sim, quero muito e agradeço que faças parte da minha rede de reiki.
Estou com pouco tempo, mas depois combinamos.
Bem Hajas

 
At 8:17 da tarde, Blogger Tom, um ser diferente... said...

SENSACIONAL!!!
Amei a texto que você colocou hoje no seu blog.
Dizer NÃO é mais que importante, tão importante quanto dizer sim. Aprenda, amiga, aprenda SEMPRE!
Beijos mil!

 
At 6:39 da tarde, Blogger Sucesso said...

Vim retribuir a visita.é um blog muito diferente do meu. Muito para ler, muito para pensar.

 
At 12:08 da manhã, Blogger greentea said...

é importante dizer NÃO, pela simples razão de que não podemos dizer sim a tudo e além do mais temos de saber ser nós próprios e definir gostos e saberes e prioridades.

Um beijo para ti porr este texto

 
At 11:11 da manhã, Blogger a lice said...

Dá que pensar, de facto...

Beijinho e bom domingo!

 
At 3:19 da tarde, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Muito bom teu post!!!

Aprendi a dizer NÃO desde muitíssimo cedo. A vida foi minha melhor mestra e se a observarmos com atenção, o NÃO maior, vem mesmo dela. Depois, seguem os muitos outros. Meu pai ensinou-me primeiramente os NÃOs da vida e desses eles sempre fez muita questão de mostrar, sem meias medidas. Ele jamais me disse que eu não podia... Poder, podia, mas teria sempre alto preço a pagar. Fiz o mesmo com meus filhos. Deu certo. No entanto te digo que, de um modo ou outro, todos nós - eu e meus dois filhos, além de mei pai, é claro - acabamos maiginais. Marginais por sermos pessoas à margem de... Por não sermos iguais a maioria. Acabamos sendo os diferentes. Os que depois de dito uma vez, nada fazia ou faz voltar atrás. E isso de fato não é verdadeiro. Voltamos sim, desde que nos provem ser coerente e correto e que nossas voltas sejam de fato por algo que tenhamos cometido através de um erro, mas... Muito dificilmente preocupam-se em nos ostrar erros e sim em nos dizer que somos pessoas fora de padrão, ou mesmo anormais. Aprendi então a conviver com minha anormalidade. De todos sou mesmo a pior. Sempre e em todas as vezes em minha vida que disse um NÃO, foi decisivo e doesse lá a quem doesse. Nunca me importei com a dor momentânea do NÃO. NÃO, é NÃO e não tem mesmo meia medidas para isso. Essa lição eu já aprendi. No entanto, eu sou mesmo de pontas, de extremos. Sou excessiva em tudo e por conta disso, também estou estudando outras lições e estou até bem adianta... Já perdi muito do meu excessivo orgulho, desse que só serve mesmo para atrapalhar e atualmente me detenho a uma outra disciplina que está me parecendo bem mais difícil, mas estou conseguindo boas notas sim, afinal sempre fui boa aluna. Estou aprendendo a ser tolerante. Em razão do Não, passei a vida sem me permitir tolerância e hoje já posso ponderar melhor e reconhecer o equilíbrio entre a DETERMINAÇÃO, ORGULHO e TOLERÂNCIA.

Ainda falta muito para a minha formatura e talvez isso jamais ocorra, mas sigo aprendendo.

Obrigada por tua lição de hoje!!!

Beijinhos para teu domingo!!!
Da Cris

 
At 3:31 da tarde, Blogger EuMulher said...

Cris... pelos vistos começamos em extremos opostos para procurar atingir o equilibrio. Quem sabe econtramo-nos nesse ponto para recebermos o nosso "diploma" de formatura.Obrigada pelo teu comentário. Ele ajudou-me muito. Um bom domingo para ti Beijinhos

 
At 11:22 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Excelente post e excelente comentário da "Cris".
O facto de na nossa formação, sofrermos influências nem sempre das mais positivas, que nos oprimem, que nos transformam em seres condicionados, não nos deve impedir de nos modificarmos, mais tarde.
Mas, cuidado, pois não temos de passar a ser extremistas ou totalitários, como sinal de revolta. Mas o equilibrio - a tolerância são soluções, mas a aprender....

 
At 1:53 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Interesting website with a lot of resources and detailed explanations.
»

 
At 1:00 da manhã, Blogger Paulo said...

O teu post deixo-me a pensar...não tanto pela "Ângela", ou a importância do "Não", talvez mais pela (nossa) necessidade de encontramos um ponto de equilíbrio ao longo da nossa vida. E da importância que esse equilíbrio assume para nunca cairmos em extremos...o sempre e o nunca são opostos que se confundem...

 
At 6:33 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Interesting site. Useful information. Bookmarked.
»

 

Enviar um comentário

<< Home