Essencia de Mulher

Um blog para mulheres e homens de mente aberta

quarta-feira, maio 24, 2006

Caminhos

Tomar decisões é uma constante nas nossas vidas. Por vezes temos muita dificuldade em optar por certos caminhos a seguir. Encontramo-nos em verdadeiras encruzilhadas. Todos eles apresenta-nos coisas boas e menos boas. Ora percorremos caminhos de ilusão, tortuosos, ora alguns que parecem não nos conduzir a lado nenhum, outros ainda é como darmos 3 passos em frente e 2 para trás. Existem momentos em que nos sentimos como se tivessemos de mãos e pés atados e perante um beco sem saída. Um outro aspecto nada fácil é que para tomarmos certas decisões temos de contar com as pessoas que nos rodeiam. Tudo parece um puzzle. Escolher as peças que encaixam entre milhares de hipóteses é tarefa árdua. Sempre ouvi dizer que o melhor é deixar fluir e quanto mais pensamos em soluções mais o problema se torna complexo. Sempre "poluimos" os nossos raciocinios com medos, incertezas e dados novos. Nada como definir o que realmente queremos através do nosso livre arbitrio, "enviarmos" o pedido para o Universo e esperar pacientemente pela resposta. Não podemos estar à espera de soluções perfeitas, pois elas são sempre perfeitas em determinada altura da nossa vida. Há dias li o excerto de um livro que me levou a meditar um pouco. A dificuldade está nem sempre escutarmos o coração e darmos mais atenção à razao, ou confundirmos as coisas, penso eu!

" Qualquer caminho é apenas um caminho e não contitui insulto algum- para si mesmo ou para os outros- abandoná-lo quando assim ordena o coração (...) Olhe cada caminho com cuidado e atenção. Tente-o tantas vezes quantas julgar necessário... . Então, faça a si mesmo e apenas a si mesmo um pergunta: possui esse caminho um coração? Em caso afirmantivo, o caminho é bom. Caso contrário, esse caminho não possui importância alguma."

Carlos Castañeda, The teachings of Don Juan

6 Comments:

At 12:50 da manhã, Blogger a lice said...

Gostei da citação...
De facto, seguir um caminho tem muito que ver com a necessidade de escutar o coração, antes de decidir que rumo tomar!

 
At 1:25 da manhã, Blogger Isa said...

Escutar o coração...ou a razão??

O equilíbrio é bom conselheiro.

Beijinhos :)

 
At 9:51 da manhã, Blogger greentea said...

possui esse caminhoo um coração???

achei lindissimo este teu texto e oportuno em cada momento da nossa vida...
e às vezes temos que recomeçar o mesmo trilho vezes e vezes e esquecemos de perguntar se aí está um coração ou uma cilada.
Um beijo para ti

 
At 2:12 da tarde, Blogger EuMulher said...

Escutar o coração... escutar a razão... como seres humanos que somos e com a aprendizagem que temos feito a razao parece que fala sempre mais alto. Mas concerteza que o ponto de equilibrio é necessario. Penso que talvez hoje em dia não seja difícil falar em intuição. Li num livro "O Tao da física"o seguinte: "Ao longo da história, tem- se reconhecido que a mente humana é capaz de duas espécies de conhecimento, ou dois modos de consciência, via de regra geral denominados o racional e o intuitivo"Muitas vezes pura e simplesmente ignoramos a nossa intuição ou deixamos que ela deixe de ter validade sufocando-a com a mente. Há que encontrar o ponto de equilibrio sentindo como as coisas funcionam connosco. Mas todos sabemos que esse ponto nao é facil de encontrar.O apelo que eventualmente posso fazer é no sentindo de se escutarem interiormente.

 
At 2:38 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Escutar o coração, a razão, conselhos de amigos ou especialistas, lêr livros, tudo são meios de reflexão antes da tomada de decisões.
1º) o que nos parece a escolha certa, não pode ser confrontada com o que perdemos com tal escolha;
2º) decisões ou escolhas com resultados óptimos para sempre, ou atá ao fim da vida, não existem ou quase não existem. É preciso renovarmos, cada vez mais, a nossa vida. As condicionantes mudam, as pessoas, o universo, tudo muda cada vez mais depressa....e como se ousa dizer, quem deixa andar, ou não reformula as questões, poderá de repente vêr-se num beco sem saída;
3º) para decidir temos de definir expectativas, e estas como em tudo na vida, não podem ser inatingíveis ou irrealistas;
4º)por fim, depois de efectuada a escolha, nunca se deve olhar para trás, correndo o risco de sempre comparar ou de nos marterizarmos com a velha questão: Porque não reflecti melhor? Porque não fiquei eu quietinho?
Mas que fique claro, para mim, pior que mudar e errar, é nada fazer ou seja deixar andar, a isso se chama falta de coragem e espírito de aventura, e aventura não significa ir à guerra, mas sim termos objectivos e lutarmos por eles.

 
At 1:37 da manhã, Blogger EuMulher said...

Anonimo... penso que quando temos de fazer escolhas importantes temos sempre de ponderar os prós e os contras. Seria um contrasenso optar por algo que á partida está condenado ao insucesso. Ou optarmos por uma situação onde vamos perder mais do que ganhamos.Quando chegamos a conclusao que uma escolha é certa é porque temos a certeza que ganhamos mais do que perdemos, mesmo que mais tarde cheguemos à conclusão que erramos. Gostaria de ter já chegado ao ponto de aceitar que em cada altura da nossa vida nós fazemos sempre o melhor que podemos e sabemos Concordo contigo que realmente a acomodaçao nao é o melhor remedio. Expectativas... eu sei que nao devemos por fasquias muito altas, mas por vezes estamos enganados quanto aos nossos limites. Tanto podemos pecar por defeito como por excesso e tanto uma como outra podem ser condicionantes muito grandes. Mais um vez te dou razao. Depois da decisao tomada nao adianta olhar para tras e recriminarmo-nos.Mas isso nem sempre é facil porque por vezes uma grande decisao passa por muitas pequenas decisoes e quando vemos que essas pequenas decisoes começam a falhar...cria-se um impasse. Ha que reformular a estrategia toda desde o inicio.Por vezes o nao agir nao tem a ver com falta de coragem. Tem a ver com o ritmo de cada um em assimilar certos processos de transformação. Algumas vezes é preciso fazer uma pausa, respirar um pouco, serenar... e na minha filosofia de vida, esperar por um sinal.Mas isto é a minha maneira de ver as coisas!Às vezes para mim o mais dificil é definir objectivos, é chegar à conclusão do que realmente quero. Depois disso eu vou à luta! Talvez porque nem sempre os meus objectivos sejam de facil compreensão.

 

Enviar um comentário

<< Home