Essencia de Mulher

Um blog para mulheres e homens de mente aberta

sexta-feira, abril 28, 2006

Até um dia...



Vou estar ausente durante uns tempos. Deixo um desafio a quem passar por aqui: escreva-me um post. Quando voltar comentarei. Tudo de bom, muita Luz, Amor e Paz.

3 Comments:

At 4:42 da manhã, Blogger Nuno Martins said...

Usurpação !

Nos corpos perdemo-nos de nós mesmos, para nos ganharmos e situarmos. Nos beijos,despedimo-nos para nos encontrarmos pelo olhar e pelo tacto. Na pele escaldada, descobre-se o segredo da entrega a um corpo estranho que a nós se junta e só a nós nos pertence. É neste amor que morosamente devassamos, alheando-nos da carne consumida, que se levitam águas, solos, seres, provando-a, subindo e descendo
imperfeições naturais de dois corpos que se fundem.
Num só corpo amam-se em perfeita loucura e sintonia, como fruto da paixão tentadoramente saboroso e apetecível... Prova-me !

 
At 11:41 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Miss You... @

 
At 10:32 da manhã, Blogger EuMulher said...

Nuno... obrigada pelo teu "post". Gosto sempre de ler o que escreves. Engraçado, e penso que já te disse isso uma vez, nunca consigo ler os teus textos uma única vez e cada vez que os leio descubro algo novo e imagens diferentes surgem na minha mente. Sera que alguma vez consigo descodificar a mensagem que pretendes enviar? Realmente "nos corpos perdemo-nos de nós mesmos..." Quantas vezes usamos o corpo como "máscara" de tantas coisas que queremos ocultar e acabamos por nos convencer que somos a própria "mascara"? Mas nem a todos conseguimos iludir e quando nos entregamos sem barreiras corpo e alma acabam por entrar em sintonia. Será que existem pessoas que se entregam sem barreiras? Esta é uma questão que me ponho há muito. Estou neste momento a ler um livro:"O corpo que somos" de Agostinho Ribeiro Este livro está dividido pelos seguintes capítulos:Corporeidade(corpo vivido);Aparência corporal(corpo exposto); Sentidos corporais(Corpo sensual); semiótica corporal(corpo significante); Contacto corporal(corpo a corpo) Se um dia tiveres paciência de ler este livro talvez entendas porque o mencionei aqui. Muito do que escreves, e devido a tua sensibilidade, vai ao encontro daquilo a que poderiamos chamar "verdade".Obrigada Nuno.
Anónimo...É sempre agradável sabermos que fazemos falta a alguém. É talvez uma forma de nos sentirmos úteis e que não passamos por esta vida como seres invisiveis. Obrigada.

 

Enviar um comentário

<< Home