Essencia de Mulher

Um blog para mulheres e homens de mente aberta

sexta-feira, outubro 07, 2005

Vida a dois

Quero dedicar este post a um amigo que brevemente vai casar.
Quando sentimos que amamos alguém, ficamos com vontade de partilhar a nossa vida com essa pessoa. Cada casal escolhe a maneira como iniciar esse trajecto: Uns ficam-se sómente pela assinatura do dito "contrato", outros fazem-no através da sua religião, com a benção do seu Deus, e uma outra opção é pura e simplesmente "juntar os trapinhos". Acima de tudo, penso eu, o mais importante é o compromisso interior que duas pessoas criam e as leva a dar este passo. É sempre uma grande mudança na vida de qualquer pessoa e como tal sujeita a adaptações.
A meu ver, numa vida a dois, é como se existissem 3 pessoas: o Eu, o Tu e o Nós. É bom que ninguém se esqueça da individualidade de cada um e a respeite. Fui educada a pensar que o casamento transforma duas pessoas em uma. Para mim isso é um grande erro.
Não existem "receitas" para o sucesso de uma relação. Cabe a cada um sentir o pulsar dessa união e escutar o coração. Quando amamos tudo surge com naturalidade e mesmo os momentos mais difíceis são superados. "Jogos" e "esquemas" não fazem parte do Amor a dois. Isso é manipulação. Toda a relação é um dar e receber constante. Complicado é quando as pessoas entram pela via das cobranças, fazem exigências e entram em luta pelo "poder" querendo marcar território, assim como quando recorrem ao espírito competitivo. Uma outra ilusão é querer mudar uma pessoa. Pudemos e devemos dizer sempre o que gostamos ou não gostamos, mas é impossivel mudar alguém. Só a própria pessoa tem capacidade para se modificar. Pode acontecer, por vezes, um dos membros do casal começar a por uma "máscara", só para agradar ou ter medo que o outro se afaste. Aí sim, as coisas complicam porque mais tarde ou mais cedo as "máscaras" caem e a desilusão é maior. Há que aceitar uma pessoa tal como ela é, com os seus defeitos e limitações, assim como não deixar de sermos nós mesmos. Todo o trajecto de uma vida a dois é uma forma de aprendizagem e as pessoas vão mudando ao longo do tempo. Mau seria se assim não fosse. Na minha forma de sentir a vida, não é por acaso que duas pessoas se juntam. Elas têm sempre algo a aprender e a ensinar uma à outra. Eu sei que é difícil, mas o Amor deveria ser incondicional, tudo dá e nada espera em troca.
O diálogo, o espírito de entrega, partilha e entreajuda, a confiança, a frontalidade, a honestidade, a humildade, a compreensão, a capacidade de ceder e de dizer "não", o respeito, a criatividade, a flexibilidade, o aceitar o outro tal como ele é, penso serem ingredientes que usados com conta peso e medida podem levar à felicidade de um casal. Alguns deles são expontâneos simplesmente porque amamos. Ao longo da minha vida, fui dando conta que só pudemos fazer alguém feliz quando estamos felizes e bem connosco mesmos. Não se pode dar o que não se tem Ninguém nos consegue dar felicidade, por muito que se esforce, se não estivermos receptivos a isso. Não adianta culpar alguém pela nossa infelicidade.
É bom viver cada momento, e por vezes baralhamos as coisas. Misturamos trabalho com família e vice versa, amigos com família e vice versa... tudo tem a sua altura própria. Não é bom descarregar na família os problemas do trabalho, por exemplo. Isso não trás soluções.. Uma coisa é desabafar, pedir ajuda... outra é estar de mau humor e ninguém perceber porquê.
Não estou a dar comselhos a ninguém, até porque a decisão final é sempre de cada um. Estou a relatar o meu ponto de vista e o que me ditou e experiência ao longo dos anos. As pessoas são todas diferentes, as relações também todas diferentes. Só quis colocar aqui alguns considerandos para reflexão.
O Amor entre duas pessoas é como uma planta de jardim. Para termos uma planta que nos satisfaz o olhar temos de a semear, deixar a semente germinar, esperar que ela cresça e cuidar dela. Ela não sobrevive por si só, é preciso regá-la, arrancar as ervas daninhas, podar, fertilizar... ao minimo sintoma de doença há que parar um pouco para pensar, analisar e actuar.
Amar é um sentimento próprio do ser humano. Amar uma pessoa em especial é algo sublime. Existe melhor coisa que amar e ser amado?
Ao meu amigo desejo que "embarque" nesta viagem para a Felicidade e o Amor com bilhete só de ida.

4 Comments:

At 1:22 da manhã, Blogger DJ said...

Isso era bonito se fosse sempre assim... mas às vezes as pessoas deixam a corda partir... e nem a tentam segurar. E aí... por vezes é a morte do artista!

 
At 3:17 da tarde, Anonymous Mauricio said...

O sucesso da vida a dois está na simples receita - ter capacidade de sacrifício pelo companheiro e vice-versa. Antes da casar, descobrir bem o que cada um tem de bom e de mau e depois "EQUILIBRIO", "DIÁLOGO" e "ENTRE AJUDA".

 
At 4:08 da tarde, Blogger EuMulher said...

Dj... há que estar atento, há que sabermos até que ponto certas coisas são mais importantes que outras. São opções que se vão tomando por alguma razão.O adiar de certas situações, ou esperar que se resolvam sózinhas tem sempre o seu risco.
Maurício...Não posso concordar quando falas em espírito de sacrificio. Ninguém deve estar ao lado de uma pessoa assim. A isso quase arriscaria a chamar "traição", porque ninguem está a ser feliz, estão a enganar-se um ao outro e a não dar hipótese de felicidade a nenhum dos dois. Mas talvez o que queiras dizer é que as pessoas à minima contrariedade desistem e deixam de lutar pelo sentimento que outrora as uniu. Hoje em dia as pessoas cortam relações fácilmente e de uma forma egoista. Não estão para se aborrecerem,para terem problemas. O Amor não morre de um dia para o outro, mas em momento de crise de um casal as pessoas por vezes confundem sentimentos e preferem fugir a situações que lhes causa mau estar. Todos nós sabemos que uma relação tem muitas fases e não é sempre um "mar de rosas". Resta saber o que é que cada um quer e o que sente. Agir de "cabeça quente" ou em momentos de crise pode ser nefasto. Há que lutar até ao fim, até não existirem mais "munições". Uma coisa é o Amor acabar, outra é uma crise. Quanto a descobrir o que cada um é e conhecê-lo bem antes de casar, isso é relativo. As pessoas vão mudando ao longo do tempo. Ninguém é a mesma pessoa que há um segundo atrás.

 
At 7:13 da tarde, Blogger Ega said...

Nem parece meu fazer esta citação, mas cá vai ela: "Realidade ou desejo interior, o amor é o elemento primitivo da actividade interior; é a causa, o fim e o resumo de todos os afectos humanos". De Alexandre Herculano, em Eurico o Presbítero.

 

Enviar um comentário

<< Home