Essencia de Mulher

Um blog para mulheres e homens de mente aberta

sexta-feira, agosto 18, 2006

Sugestões



Deixo aqui duas sugestões de uns "programas" que eu gostava de fazer e que vou tentar fazer. Até ao dia 26 deste mês de Agosto, na pousada de São Filipe em Setúbal, são recriados os jantares e ambientes da Idade Média, com trajes medievais para os convidados, música e trovadores, saltimbancos e visitas guiadas aos subterrâneos da fortaleza. ( A partir de 50 euros por pessoa)


Até dia 9 de Setembro, no cenário ímpar da Quinta da Regaleira em Sintra, pode-se assistir à representação de Hamlet de Shakespeare. Com encenação de Rui Mário e intrepretado pelo Teatro Tapa Furos, tem o atractivo de ser um espectáculo volante representado ao ar livre (pelo que se aconselha calçado confortável e agasalhos). De quinta a sábado pelas 22:00 horas; domingos às 20:00 horas. Bilhetes:15 euros.

Aqui ficam então as sugestões. Eu pessoalmente sempre senti um atractivo muito grande pela época medieval, e ando há muito tempo para ir visitar a Quinta da Regaleira, pelo seu grande simbolismo. Gostos!

9 Comments:

At 1:35 da tarde, Blogger DJ said...

A Idade Média, o Século XVIII e a Antiguidade Romana são as épocas que mais me atraiem.

 
At 3:25 da tarde, Blogger DJ said...

Fui eeeeeeeeeu! A 10.000.ª visita! Eu eu eu!

 
At 3:34 da tarde, Blogger EuMulher said...

A Idade Média também me atrai a Antiguidade Romana... aí existe algo de "estranho" comigo. Atrai-me em termos de curiosidade mas existe um certo...nem sei bem que palavra escrever... talvez um certo "medo" por tras quando sou confrontada com algo relacionado com essa época. Engraçado que quando estive em Roma e no Coliseu, senti esse "arrepio", e estou aqui a escrever isto e... sinto como uma época de grande perda para mim, de grande impotência com algo que não sei explicar."Vejo", derramento de sangue, sinto que fujo fujo... sinto que perdi quem mais amava em grande sofrimento, sinto por fim ficar sózinha num mundo que me apavora ficando entre a tristeza, o medo e a raiva... ops... não sei porque estou para aqui a escrever estas coisas mas agora também nao apago. Senti-me de repente embalada como que por um "sonho". Talvez tivesse que ficar registado aqui, não sei...

 
At 3:36 da tarde, Blogger EuMulher said...

Dj... aposto que andaste a fazer batotice... a entrar e a sair... :)Bom... lá terei de pensar num post comemorativo :)Se ja me tivessem pago as alvissaras eu até era capaz de ir comemorar mas assim...

 
At 2:13 da manhã, Blogger poeta_silente said...

Oi, querida!
Há quanto tempo!
Que lindas sugestões. Que belos passeios.
Deixo-te, aqui, um grande beijo.
Miriam

 
At 12:26 da tarde, Anonymous pilgrimando said...

Também eu sinto enorme atracção pela época medieval. Talvez por todo o misticismo que sempre consegui ver associado aos factos mais singelos que a história nos conta. No entanto, penso que para gostar verdadeiramente desta época é necessário entender e tirar partido da simplicidade e singeleza do momento histórico que ela assinala; descobrir a pureza na rudeza e amar a autenticidade.
A verdade é que as coisas simples por vezes não conseguem perceber-se e uma visita a um local onde gostaríamos de ir é consequentemente adiada; porque está sol, porque está a chover, porque estamos cansados, porque estamos relaxados e preguiçosos, porque… é difícil dar voz às coisas que nos apetecem verdadeiramente e que permitiriam o encontro connosco no acto de tocar o solo. Um solo. De preencher um espaço com a nossa pequenez.
Depois vêm as tropelias da vida e súbito percebemos a pequenez da nossa existência e a incapacidade de lutarmos contra as evidências duras vida: nascer, viver e morrer. Então questionamo-nos porque vivemos tão a correr, tantas vezes a correr atrás de insignificâncias. A verdade abate-se com uma violência singular: durante toda uma vida nunca percebemos o verdadeiro significado da palavra viver, ao mesmo tempo que se enforma a consciência de que talvez esse tenha já sido O erro cometido na vida anterior e de que será talvez um erro que se repetirá em vidas por vir.
Cabe-nos, no momento, abrandar a marcha e darmo-nos tempo para saciarmos os nossos gostos…
Satisfaz a tua vontade
beijinhos

 
At 5:43 da tarde, Blogger EuMulher said...

Poeta_silente...é sempre agradavel ver-te por aqui. Um grande beijinho tambem para ti e muita Luz.

 
At 6:14 da tarde, Blogger EuMulher said...

pilgrimando... adorei o teu comentario. Temos muitas vezes tendencia a adiar situações e a complicar também. Nada como deixar correr as coisas, nada como partir para as coisas sem expectativas, nada como apreciar o momento livres de pensamentos . É dificil... mas não impossivel. É uma questao de pratica e persistencia. Estava eu aqui a comentar o que o Dj escreveu e... as palavras foram surgindo, e possivelmente tudo seria bem diferente na vida se assim fosse. Mas tambem temos de em muitas ocasioes ter os pes acentes no chão e racionalizar muita coisa. Afinal vivemos neste planeta e temos de agir como seres humanos com tudo o que isso implica. Não somos só espirito mas carne tambem!É tentar encontrar o equilibrio das coisas.Viver... pois... o que sera viver? A cada um cabe encontrar a resposta. No fundo estamos "nesta escola" para evoluirmos, cada um ao seu ritmo, à sua maneira. Morrer? Sera que morremos? Ou sera que simplesmente transitamos para outra "turma"? Tanta pergunta sem resposta... mas o importante é sabermos que nos vão sendo dadas respostas à medida que estamos prontos para as receber, e a cada um será dada uma determinada resposta conforme vá sendo precisa para evoluir. Não adianta ficarmos obcecados com muita coisa porque é quando menos atingimos os nossos objectivos. Ops perco-me um pouco aqui a comentar... alongo me e vou transitando de uns temas para outros... Muito obrigada pela tua presença. Volta sempre... será sempre um prazer trocar ideias contigo. beijinhos

 
At 11:28 da manhã, Blogger TTF said...

Muito obrigado pela sugestão cultural... Até breve... num palco perto de si...

 

Enviar um comentário

<< Home